Adoro o que faço profissionalmente e cada dia mais e mais sem algum arrependimento. A exigência quer física quer psicológica, o stress e acima de tudo, a minha grande liberdade. O bom do que faço, para mim, é este por vezes levar-me a novos sítios, conhecer novos locais e explorar por mim mesmo tudo o que possa.

Desta vez fui levado para Freixo de Espada à Cinta. Não é a primeira vez que lá vou mas, definitivamente, é a primeira vez que lá fui e com tempo de explorar.

Freixo de Espada à Cinta é uma vila portuguesa, pertencente ao Distrito de Bragança, Região Norte e sub-região do Douro, com 3 780 habitantes (2011).

Brasão de Freixo de Espada à Cinta Bandeira de Freixo de Espada à Cinta
Localização de Freixo de Espada à Cinta
Gentílico Freixiense, freixenista, freixonista e freixonita.
Área 244,14 km²
População 3 780 hab. (2011)
Densidade populacional 15,5  hab./km²
N.º de freguesias 4
Presidente da câmara municipal Maria do Céu Quintas (PSD)
Fundação do município (ou foral) 1152
Região (NUTS II) Norte
Sub-região (NUTS III) Douro
Distrito Bragança
Antiga província Trás-os-Montes e Alto Douro
Orago São Pedro
Feriado municipal Segunda-feira subsequente ao Domingo de Páscoa
Código postal 5180
Municípios de Portugal

É sede de um município com 244,14 km² de área e 3 780 habitantes (2011), subdividido em 4 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Mogadouro, a leste e sul pela Espanha (especificamente nos municípios de Mieza, Vilvestre, Saucelle, Hinojosa de Douro, e A Fregeneda), a sudoeste por Figueira de Castelo Rodrigo e Vila Nova de Foz Côa e a oeste e noroeste por Torre de Moncorvo.

“Freixo de Espada Cinta – vila em Portugal na província Tarraconense, creio que tomou este nome de um que se chama Freixo, que a edificou na destruição de Espanha, e era primo de D. Rezendo que jaz em Cellanova, que fundou o Mosteiro do Monte em Cordova, e trazia por armas uns feixes com uma espada e as pôs nesta vila donde lhe chamam, e isto é o porque a geração dos Freixes em Galiza traz esta espada por armas” por João de Barros.

Algo que me chamou logo à atenção, visto estar com tempo e com disponibilidade, enquanto procurava uma pastelaria para tomar um café e comer algo, foram placas informativas com vários tipos de indicações sendo para mim as mais importantes: Centro Histórico e Miradouros.

Fui rapidamente dar um pequeno passeio pelo Centro Histórico ao qual me deparei com a Igreja Matriz de Freixo de Espada à Cinta.

A Igreja Matriz de Freixo de Espada à Cinta ou Igreja de São Miguel é um templo no concelho de Freixo de Espada à Cinta, na União das Freguesias de Freixo de Espada à Cinta e Mazouco. É uma igreja salão de arquitetura manuelina.

photo-31-01-17-11-40-20

Sobrevivem no seu interior as pinturas e parte da decoração de um antigo retábulo pintado entre 1520 e 1535 e que terá sido desmontado na época barroca. O seu pintor foi provavelmente um discípulo de Grão Vasco. Ao todo são 16 painéis de pequena dimensão representando cenas da vida da Virgem (Encontro na Porta Dourada, Anunciação, Natividade, Epifania, Apresentação de Jesus no Templo, Fuga para o Egito, Jesus entre os doutores e Assunção de Maria) e da paixão de Cristo (Última Ceia, Oração de Cristo no horto, Prisão de Cristo, Ecce Homo, Calvário, Lamentação de Cristo, Ressurreição e Pentecostes).

O bom e mágico destes meus “passeios”é a procura de conhecer um pouco mais dos locais que visito e exploro e estudar posteriormente em casa no meu sossego. Na frente desta imponente igreja, encontra-se uma estátua de Jorge Àlvares. Quem foi?! Também eu tive curiosidade em procurar saber.

photo-31-01-17-11-40-36

Jorge Álvares (Freixo de Espada à Cinta, data incerta – China, 8 de Julho de 1521) foi um explorador português, o primeiro europeu a aportar na China, por via marítima, e, em 1513, a visitar o território que atualmente é Hong Kong .

Foi um dos portugueses que, de Malaca, se dirigiram à China, sendo o primeiro a chegar à China, em 1513, na região sul, a mando do Capitão ou Governador de Malaca português, Jorge de Albuquerque, sobrinho do conquistador Afonso de Albuquerque.

Pela hora de almoço com o apetite apenas de querer conhecer mais, decidi desta vez, seguir em direção ao tal Miradouro. O desconhecimento era imenso e fui andando mas a hesitação começou a surgir após cada galgar de quilómetro. Miradouro de Penedo Durão dizia uma placa. O nome surgiu-se mais aliciante e não desisti desta minha investida. Definitivamente valeu a pena esta minha teimosia.

photo-31-01-17-13-57-56

Penedo Durão é isso mesmo, tal como o nome anuncia, é um enorme penedo ou rochedo que se ergue sobre a margem direita do rio Douro. No seu topo existe um miradouro, que, para além as excelentes vistas que oferece, constitui um local privilegiado de observação de aves. Este miradouro encontra-se no fim da estrada numa espécie de parque de estacionamento com mesas de piquenique.

Certamente que há muito mais a explorar por esta tão bela região mas, desta vez, foi o que se pode fazer. Zona a ser visitada e de enorme beleza.

(Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Freixo_de_Espada_%C3%A0_Cinta)

(Fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_Matriz_de_Freixo_de_Espada_%C3%A0_Cinta)

(Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jorge_%C3%81lvares)

Advertisements